Falando sobre Banho de Ervas


Olá meu Irmão e Minha Irmã de Fé, hoje falaremos sobre o Banho de Ervas de uma maneira Simples e Objetiva. Nosso intuito não será de ensinar o que é correto ou errado, muito menos ensinar as pessoas a realizarem banhos por conta própria, mas falaremos sobre este tema de uma maneira bem objetiva.
Como sabemos as Ervas possuem diversas funções e diversas formas de serem utilizadas, mas hoje estamos falando especificamente sobre os banhos ritualísticos. As Ervas possuem a função de neutralizar, purificar, retirar energias negativas, positivar o corpo físico e fortalecer elementos ritualísticos.
Dentro da Umbanda possuímos o Amaci, este ritual com o passar dos anos ganhou diversas definições dos adeptos da Religião de Umbanda, como também acabou ganhando diversas formas de preparo. O Ritual do Amaci varia de casa para casa, cada terreiro possui a sua particularidade, a sua forma de culto e tratamento das Ervas Sagradas, para o preparo de banhos e principalmente para serem utilizadas para a manutenção dos elementos sagrados utilizados nas Casas Umbandistas.
O Amaci para muitos é considerado um ritual que prepara o Filho de Terreiro para a manifestação de seus guias espirituais, ele possui a função de conectar o iniciante com a espiritualidade, facilitando o contato com as forças espirituais. Além disso o Amaci possui a função de neutralização, limpeza e purificação do corpo Físico.
Existem diversas formas de preparo do Amaci, em alguns podem ser usados água do mar,água de cachoeira, água de fonte e água de chuva dependendo da sua finalidade, até mesmo todos estes elementos ao mesmo tempo e outros elementos ritualísticos também podem ser adicionados ao Amaci.
Em algumas Casas são entoadas Cantigas e até mesmo pode haver a Manifestação do Guia Chefe da Casa para que seja a realizado o preparo e encantamento das Ervas para que o mesmo seja aplicado no corpo do Filho Iniciante, Filhos Antigos da Casa e até mesmo utilizados para limpeza e energização de imagens, facas, fios de contas e outros elementos utilizados pelas entidades de terreiro.

Assim como o Amaci prepara o Filho de Terreiro para os Trabalhos Umbandistas o uso do Banho de Ervas em alguns momentos quando se faz necessário dentro de um Terreiro é de extrema importância para manter o equilíbrio e condições para os Trabalhos Religiosos.
Quando falamos do uso das Ervas no Candomblé principalmente quando nos referimos a Nação Kétu nos lembramos imediadamente do Ritual da Sasanyìn (Sasanhê/Sassanhim) que vem a ser uma ritualística de utilização da energias das ervas com o intuito de fortalecer e principalmente fortificar objetos e elementos sagrados dentro de uma Casa de Axé. É a renovação energética, tal ato está relacionado diretamente ao Orixá Òsàyìn (Osanhe). Durante este ritual são entoadas diversas cantigas sagradas, assim como diversos encantamentos e procedimentos são realizados para ativar de forma plena a energia que nos é dada através do sangue vegetal.
É de extrema importância o conhecimento de cada Ewè (folha), principalmente o seu preparo de descanso antes do ritual em si, a lavagem, a colocação das mesmas sobre a Enì (esteira) para que aja o uso das palavras sagradas pertencentes as mesmas e a entoação das cantigas sagradas. O uso do Obì mascado e espargido sobre as folhas, a ativação em conjunto com sangue branco (saliva), as palavras de encantamento e a maceração em si é um momento mágico e único que só quem vivencia dentro de uma Casa de Axé sabe o que é.
"Kosì Ewè Kosì Òrìsà - Sem Folha não há Orixá", a folha é um elemento indispensável em qualquer ritualística sagrada, este elemento é a preparação para qualquer obrigação religiosa, o Sangue Vegetal é o elemento mais puro e preparatório dentro do Candomblé. Somente o encantamento feito pelo Sacerdote ou pelo Bàbálòsáyìn poderá trazer o efeito desejado para o banho sagrado.
Para colher as Folhas Sagradas deve-se pedir licença principalmente a Òsányìn e a outras divindades relacionadas as matas como deve-se estar de corpo limpo, puro e deve-se permanecer de tal forma cumprindo preceitos até o final de todos os Rituais da Sasanyín.

Obs: Além disso oferendas são realizadas para Òsányìn para "pagarmos" ou melhor pedirmos licença para colher as folhas sagradas, devemos nos lembrar também que algumas folhas possuem a finalidade de acalmar, outras de neutralizar e outras até mesmo agitar e como também aguçar os sentidos. Existem folhas femininas, masculinas, folhas das águas, de ambos os sexos, folhas que dependem de outras para sobreviver, existem diversas folhas e finalidade. Devemos nos lembrar também que a folha manipulada de forma errônea pode ter função inversa da desejada, por este motivo é importante o conhecimento ritual.
Omì Erò (Àgua que Acalma) - Durante 3 dias de descanso o banho é denominado desta forma e tendo sua finalidade desta forma. Quando acrescentado Obì, Orogbo, Atare, Waji, Efun, Ejè e outros elementos é denominado Agbò.
Cada Casa tem um fundamento, cada fundamento possui um motivo, cada motivo necessita ter sentido, através desta matéria não quero ensinar banhos mas dizer que é importante sentar com seu sacerdote seja Umbanda ou Candomblé tirar todas as suas dúvidas, lembre-se cada Orixá possui sua folha e cada folha possui o seu motivo para uso.

***Não sujem a mata, não deixem objetos que possam danificar a natureza, seja como a natureza, seja natural, não deixe garrafas e outros elementos na mata. Respeite o Orixá! Ele é a Natureza, respeitem a mesma"

Samir Castro
Ewè o! Ewè Asà!
Salve as Folhas! As Folhas da tradição!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exú Cainana

Curiosidades - Exú Brasinha