Orixá Ogum



Ògún o senhor da Guerra, da busca, da conquista, senhor do desenvolvimento, senhor do ferro, grande guerreiro, conhecido por muitos como o "pai da tecnologia", desenvolveu as ferramentas agrícolas, senhor da forja dos metais, aquele que protege os ferreiros, agricultores, caçadores, de todos aqueles que de alguma maneira fazem  uso do ferro e procuram auxiliar no desenvolvimento para o bem estar coletivo. 
Senhor da Guerra, das conquistas, do domínio, do desenvolvimento que com a alavanca, a pá, a enxada, a picareta, o machado, a espada e a faca ao qual ensina aos homens o desenvolvimento, a necessidade de buscar formas de sustentação, de conforto e a coletividade. 
Ògún ensinou a humanidade à evolução, ensinando aos mesmos a forjarem suas ferramentas para o trabalho e desenvolvimento. Ògún não somente forjou ferramentas para batalhas, para as guerras mas para o desenvolvimento agrícola, para a caça, ou seja a busca da sobrevivência humana.
Muitos defendem que o mesmo seria filho de Oxalá e Iemanjá, sendo irmão dos Orixás Èsù (Exú), Odè (Odé), Osanhe e Oxaguiã. Outros defendem que seria filho de Oduduá.
O mesmo teria utilizado o Inà (Fogo) elemento que representa Exú, ele fez uso deste elemento para que pudesse forjar suas ferramentas, com Odè desenvolveram a arte da caça e da estratégia, com Osanhe desenvolveu a camuflagem e a sobrevivência em diversas situações e para Oxaguiã ensinou o segredo e a arte da Guerra.
Com Oyá teve os 9 Omo Egùngùn ti Oyà (os nove filhos mortos de Oyá) e teve relações amorosas com Oxum.
No Brasil seu dia é a terça-feira, seus fios de contas podem ser confeccionados nas cores azul escuro, azul escuro e vermelho e azul escuro e preto, dependendo do título/qualidade que se apresenta.
Seus locais de culto são as estrada de terra, estradas de ferro (linha de trem) e o alto do morro.
Devemos sempre ter em mente que muitas divindades de Nações vindas da África aqui no Brasil se misturaram aos cultos da Nação Kètu, durante o período da escravidão. Assim como diversas ritualísticas que existem no Candomblé, o Candomblé possui a sua particularidade, devemos sim resgatar as origens, mas também devemos manter a nossa história viva. Devemos manter sim alguns procedimentos, pois é a memória de um povo que neste país sofreu as atrocidades da escravidão. Não devemos esquecer, devemos nos lembrar, faz parte da nossa história e eliminar certas questões é negar a nossa própria existência.
Alguns Títulos/Qualidades atribuídas a Ògún, lembrando que muitos destes nomes são apenas para exemplo e estudo Básico sobre este Orixá:

Ògún Méjè - aquele que toma conta das cidades de Irè
Ògún Jà - Considerado por muitos como "aquele que come cachorro", isto pois algumas tribos africanas se alimentavam de cachorro do mato, outros dizem que seu nome significa Jovem Guerreiro.
Ògún Onirè - Ogum que protege a cidade de Irè ou Rei da Cidade de Irè
Ògún Alàgbédè - Senhor da Briga/Guerra
Ògún Alàkórò - Senhor do Capacete, que usa Mariwo (folhas de dendezeiro)
Ògún Sóròkè - Aquele que sobe a monta e coloca fogo em suas vestes
Ògún Wàrí - Senhor dos Metais Dourados

Não quero entrar em fundamentos e nem explicações complexas. Vamos analisar uma questão interessante sem dizer se é certo ou errado, apenas tentando forçar as pessoas a pensarem e quem sabe mudar certos conceitos errados em nossa religião.
Sòròkè é um dos temas mais polêmicos dentro da nossa Religião, vale a pena lembrar que a nossa religião deve ser feita de consciência, de bases e cada base com a sua verdade. 
Vamos tirar o conceito de que seria um Orixá 6 meses um e 6 meses outro, metade Ogum e metade Exú, muitas pessoas antigamente também associava Exú com a figura do diabo da Igreja Católica, algumas pessoas passaram a crer nisso e então iniciavam um novo adepto para Xoroquê no lugar de Èsù. Assim surgiu a história do "Orixá 6 meses Exú e 6 meses Ogum" ao meu ver isso é um preconceito religioso interno que deve ser banido, graças a Deus que muitos manterão a tradição de que Èsù é um Orixá como qualquer outra divindade, com individualidade, nem um pouco diabólico e jamais parecido com o que era pregado por aqueles que se baseavam no sincretismo religioso e por este motivo temos filhos de Èsù iniciados com as graças de Deus.
Sòròkè para muitos estudiosos é "aquele que sobe a montanha, coloca fogo em suas vestes e entra Terra a dentro"; "ou aquele que vive no alto da montanha" e "aquele que grita no alto da montanha".
Este nome mostra a relação entre Èsù e Ògún, existe uma lenda que conta que Ogum ao retornar da guerra não foi recebido como deveria, não recebeu vinho de palma e não recebeu suas comidas prediletas. Nervoso, enfurecido começou a atacar todos de sua cidade e após aquela crise de fúria, alguém se aproximou trazendo tudo que ele gostava e disse que ali estava ocorrendo uma cerimônia a Oxalá, este era o motivo de todo silêncio. Furioso com seu ato correu para o alto da montanha, gritando bem alto, colocando fogo em suas vestes e entrando terra a dentro. Junto estava Èsù tentando controlar e fazendo o seu papel de bom companheiro, Exú realizou o mesmo ato e ambos foram chamados de Sòròkè
Este lenda nos ensina que devemos controlar nosso temperamento perante as situações da vida, principalmente quando parecemos ser ignorados, é uma lenda que possui grandes fundamentos.
Sorokwè já seria um Vodun, relacionado a Nação Jeje, guardião das Casas de Jeje, assunto ao qual não vou me aprofundar por não ser a minha Nação.

"Ògún Onirè ó àkòró Onirè oòré gèè dè
Aare Ògún Onirè oòrè gèè dè
Ògún Onirè ó àkòró Onirè oòré gèè dè
Aare Ògún Onirè oòrè gèè dè
Ogum é o protetor de Irê, ele é como o escudo, o Senhor de Irê
Espalhem a notícia de sua chegada
Ogum nos traz felicidade, o Senhor de Irê
Espalhem que ele chegou"

"Ògún sékórè ndè ó sékórè
Ògún sékórè ndè ó sékórè
Ogum chegou para fazer a colheita
Ogum fez a colheita
Ogum pegou toda a colheita"

"Epo ni obè, epo mu ó
Epo ni obè, epo mu ó
Ele toma sopa com azeite de dendê"

Comentários

  1. Muito bom Pai Samir!
    Admiração muito grande por esse Orixá guerreiro e desbravador que tanto nos ensina e auxilia a superar os obstáculos e batalhas do dia a dia!
    No aguardo de que compartilhe mais com a gente sobre os orixás.. Em especial Xangô.. Rsrs
    Abraço. Mo tumba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mo túmbà asè
      Segue o texto sobre Xangô publicado em 2012
      http://www.esuakesan.com.br/2012/08/xango-parte-1.html

      Excluir
  2. Belíssima história de um grande Orixá. Gratidão. Paz e luz.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado pelo comentário
    Forte abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente nossas postagens! É importante para nossa Equipe!

Postagens mais visitadas deste blog

Exú Cainana

Curiosidades - Exú Brasinha