Responsabilidade Mediúnica



Meus pensamentos algumas das vezes são contrários há alguns pensamentos antigos, não por uma questão de afronta, mas por raciocínio lógico buscando assim a melhor aproximação das pessoas à nossa religião e compreensão da mesma.
A incorporação já foi falada em nosso Blog Anteriormente nas postagens: http://esuakesan.blogspot.com.br/2012/04/incorporacao.html e http://esuakesan.blogspot.com.br/2012/05/incorporacao-2.html  
Quando falamos de desenvolvimento estamos nos referindo não ao desenvolvimento mediúnico do guia, mas do preparo do corpo daquele que servirá como aparelho de tal manifestação, nós é quem somos preparados espiritualmente e mentalmente para darmos condições para nossos guias manifestarem e atenderem quem necessita. Alguns antigos diziam baseados especificamente nas classificações dadas por outras doutrinas, principalmente a Doutrina Espírita de que a incorporação e o trabalho com os guias os auxiliam a evoluírem e lhes dão luz.
Eu discordo de tal pensamento por achar que os mesmos já são evoluídos a partir do momento que se propõem a manifestar e auxiliar as pessoas através da manifestação corpórea e também por achar que os mesmos não necessitam de luz, porém concordo que o seu trabalho de incorporação em matéria possui certo tempo de duração, então posso dizer que dentro do trabalho que se propõem a fazer existe uma evolução de grau que faz com que um dia não precisem mais vir, mas não por uma questão somente evolutiva, mas por missão cumprida referente aos trabalhos que se propuseram a realizar.
Através dos procedimentos de desenvolvimento e ritualísticas referentes ao preparo do corpo do médium para a manifestação de espíritos e funções dentro dos terreiros é que o médium vai criando confiança para realizar o trabalho que se propôs a fazer ao entrar em nossa religião.
Durante o desenvolvimento mediúnico observamos se o filho de santo é consciente, inconsciente  ou semi consciente, por este motivo é importante o controle do uso de ferramentas de trabalho tais como pinga e fumo. O uso excessivo de tais elementos durante o desenvolvimento deve ser limitado, buscando assim a perfeição da manifestação do guia no corpo de seu médium, assim quando o mesmo estiver preparado tais elementos podem ser utilizados de forma mais aberta pelos guias, pois o guia já é preparado, quem deve ser preparado para a sua atuação plena somos nós.
O firmamento do anjo de guarda, quando nos referimos à Umbanda, o cuidado com os Guardiões, o tratar dos Pais e Mães de Cabeça, o uso de Amaci e todos os procedimentos básicos dentro de um terreiro são extremamente importantes e devem ser seguidos a risca  durante o período de desenvolvimento e por toda a vida.
Evitar antes dos trabalhos o uso de bebidas alcoólicas, cigarro, carne, fumo e tantos outros elementos são no intuito de regrar os filhos de uma casa de santo buscando assim a responsabilidade, assim como as funções que são das a cada um dentro do terreiro, tudo que é feito é no intuito de nos aproximar a mediunidade criando assim confiança em nos mesmos para trabalharmos com nossos guias.



Samir Castro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exú Cainana

Curiosidades - Exú Brasinha