Umbanda e Suas Variações: Umbanda Mirim



Por mais que seja negado, por mais que muitas vezes haja certo conflito entre os estudiosos, entre os escritores, apesar de defesas a favor e contra a tese de que existem diversos tipos de UMBANDA, não podemos negar tal existência.
Existe uma certa nomenclatura e codificação dada à Umbanda pela entidade denominada Caboclo Mirim, em 1920 no Rio de Janeiro, através do médium Benjamin Gonçalves Figueiredo, um médium cujo desenvolvimento foi auxiliado pelo senhor Zélio Fernandino de Morais.
Vamos ler atentamente o texto a seguir:



Umbanda Mirim

História do advento do Caboclo Mirim

Em 1920 no Rio de Janeiro, o médium Benjamin Gonçalves Figueiredo, teve a primeira manifestação de uma entidade que identificou-se como Caboclo Mirim. Durante os primeiros anos de sua ligação com a Umbanda, Benjamin foi auxiliado no seu desenvolvimento pelo médium Zélio Fernandino de Morais. O Caboclo Mirim vinha com a finalidade de criar um novo núcleo de crescimento para a Umbanda e assim, toda a família do médium foi chamada a participar. Eram ao todo 12 pessoas que deram início em 1924 ao que foi chamada a Seara de Mirim. Localizada à Rua Sotero dos Reis, 101, Praça da Bandeira, mudou - se, posteriormente, para a Rua São Pedro e depois para a Rua Ceará, hoje Avenida Marechal Rondon, 597. Ainda sob a orientação dessa entidade, deu-se a fundação do Primado de Umbanda, uma das primeiras federações umbandistas do Brasil, criada para difundir e estimular o estudo da religião de Umbanda e dos seus reais ensinamentos.

Instruções do Caboclo Mirim

Através de seu médium, o Caboclo Mirim apresentou várias orientações sobre o comportamento do filho de Umbanda, tanto na sua postura no terreiro como em sua vida , apresentamos os conselhos:
  • Abra o seu corpo, esqueça a vida material e fale somente o necessário.
  • Não interceda no comportamento de ninguém, por mais estranho que seja, respeitando a todos indiscriminadamente, pois assim estará respeitando a si próprio. Não ria nem caçoe de ninguém, mantendo o silêncio absoluto e total. Não ache graça nas Entidades incorporadas, pois as mesmas comportam-se de diversas maneiras, dependendo do cavalo, isto faz parte dos trabalhos. Respeite o Iniciante incorporado, mesmo achando que o mesmo não esteja firme com o Guia, pois os mesmos estão em Evolução como todos nós e fazem parte importante nos nossos trabalhos.
  • Evite o contato físico com os outros, não ponha a mão na cabeça de ninguém, pois você desconhece o que as pessoas trazem consigo mesmo, de bom ou de ruim. Somente os Médiuns Juramentados podem fazer isto, assim assumindo esta Responsabilidade.
  • É perigoso dar consulta, pois no momento da consulta você assume uma Responsabilidade Espiritual séria consigo mesmo.
  • A alimentação, bem como o zelo pelo seu corpo físico, é fator preponderante para a boa captação dos Fluídos que emanam do Aspiral Ascendente formado pela Ectoplasmia de todos e que de lá vem a verdadeira quota para cada um, de acordo com seus merecimentos. O valor da Entidade depende do Corpo Físico e Mental do cavalo e se o mesmo não tiver uma boa saúde Psico-Físico e Mental a Entidade não terá nada para dar a quem necessite.
  • Acompanhe mentalmente e cante as Curimbas, pois as mesmas são Orações cantadas e trazem nas suas palavras verdadeiras Filosofias de Vida e Ensinamentos. Não interceda nos Curimbeiros solicitando cantar esta ou aquela Curimba simplesmente porque você acha bonita ou que rima bem. A Curimba é fator de importância nos trabalhos, cabe a quem estiver comandando a Gira ordená-las de acordo com a necessidade.
  • Abra o seu coração, Oxalá veio ao mundo e não o virou, trouxe a sua Doutrina e foi um observador, não será você que poderá julgar os outros. Seja, portanto, um observador oculto da vida, pois viemos ao Mundo para sermos comandados e não comandantes. Seja um pequeno homem num Mundo grande e não um grande homem num Mundo pequeno.
  • Mediunidade é uma coisa e Doutrina Espírita é outra. A Mediunidade processa-se de diversas maneiras, quer na audição, tato, visão, olfato, incorporação e etc... Doutrinação é o que fazemos nas Giras com as Entidades, pois: trabalhamos para as Almas e não com as Almas.
  • A nossa Doutrina não conserta a vida de ninguém, mas cria condições para que cada um conserte a sua própria vida de acordo com o seu paladar.
  • Numa sessão todos são vistos e observados e cabe a cada um a Responsabilidade Espiritual de seus atos.
  • Abra a sua mente para que você possa verdadeiramente levar consigo e para os seus, verdadeiros fluídos de Paz e Felicidade de acordo com seu merecimento.
  • Não interceda na vida dos outros os aconselhando, pois você não sabe dos merecimentos dos mesmos e assim procedendo você não assume Responsabilidades Espirituais. Lembre-se do Livre Arbítrio de cada um. Viva a Indiferença Construtiva da sua própria existência.
  • Não se esqueça do compromisso que você assume com o Caboclo Mirim desde que você resolveu freqüentar a sua casa. Escolha para você próprio os ambientes que freqüentar, não participando de trabalhos baixos, pois a responsabilidade será somente sua e você, um dia, prestará conta da mesma. O Mundo dos Mortos é incomensurável e nele habitam os mais diversos tipos de Espíritos, portanto, não os invoque sem conhecimento de causa.
  • A Umbanda não faz matança, pois os animaizinhos são nossos irmãos e a Lei da Fraternidade Universal as proíbe.
  • Seja dono do Mundo Material que você possui não deixando que o mesmo seja o seu próprio dono. Goste do que lhe pertence, mesmo sendo pouco.
  • Viva a Vida como ela se apresenta para você na sua verdadeira beleza, prezando conscientemente pelo seu Corpo Físico e Espiritual. Não se esqueça que as cicatrizes do Corpo Físico logo saram, mas as cicatrizes da Alma cada um carregará pela Eternidade. Zele também por sua Alma enquanto lhe sobra tempo nesta Fase Corpórea. Leia o Livro da sua própria Existência todo dia.

Ritualística

A "Escola da Vida", fundada pelo Caboclo Mirim, possui uma ritualística diferente das conhecidas. De acordo com os seus ensinamentos, há iniciados do Primeiro ao Sétimo grau de iniciação. Estes graus são atribuídos aos médiuns e não às Entidades. Estes graus estão classificados em tupi-guarani, desta forma:
  • Bojá-mirim – 1º grau: Médiuns iniciantes. Estes médiuns estão em desenvolvimento e devem procurar ensinamentos com os médiuns dos demais graus superiores e se aperfeiçoarem moralmente, evitando vícios de todas as espécies e desequilíbrios de qualquer ordem. Devem, ainda, estar firmes em seus propósitos de desenvolvimento, evitando que sugestões de espíritos inferiores cheguem às suas mentes em forma de sensação, pois os espíritos inferiores não gostam de iniciantes que se propõem a um desenvolvimento mediúnico sério para futuramente desfazerem os trabalhos de magia negra que estes espíritos inferiores teriam feito.
  • Bojá – 2º grau: Médiuns de Banco. São os responsáveis pelo descarrego de energias negativas e pela doação de fluído vital para os espíritos necessitados que passarem pelo seu corpo durante uma sessão de caridade espiritual. Estes médiuns, assim como os iniciantes, devem estar atentos aos pensamentos de desestímulo em relação à continuidade de seu caminho na Umbanda, evitando assim que espíritos inferiores atrapalhem sua caminhada. Devem ser assíduos, estando na sua tenda sempre que possível para prestarem sua caridade.
  • Bojáguaçu – 3º grau: Médiuns de Terreiro. São médiuns passistas. Este grau é uma grande mudança em relação às responsabilidades do médium no Terreiro, pois o médium deve saber aplicar um passe, a forma ideal de aplicá-lo, e os devidos resguardos antes da sessão.
  • Abaré-mirim – 4º grau: Sub-chefes de Terreiro. São médiuns que, além de já estarem firmes no passe e com conhecimento suficiente sobre a dinâmica das sessões, passarão a tomar conta do terreiro, orientando os médiuns de graus anteriores.
  • Abaré – 5º grau: Chefes de Terreiro. São médiuns que devem orientar os médiuns de graus anteriores sobre como proceder nos passes. Além disso, é neste grau que se inicia a trajetória do médiun para consultas espirituais. Adicionalmente, médiuns deste grau já devem ter responsabilidades com os demais médiuns de graus anteriores durante as sessões e giras, orientando-os sempre que necessário.
  • Abareguaçu – 6º grau: Sub-comandante chefe de terreiro. São médiuns que estão se preparando para a Escola de Comando. Devem focar em obter experiência da ritualística dos trabalhos espirituais e se preparar para aprender a comandar sessões.
  • Morubixaba – 7º grau: Comandante chefe de terreiro. São os médiuns comandantes de terreiro. São os dirigentes de sessão e devem orientar todos os demais graus.

Ainda temos tal reafirmação se analizarmos a entrevista dada pelo Primado de Umbanda à revista “Religiões” da Abril Cultural em 20/04/2004.
1) Queria que você me explicasse melhor como funciona a Umbanda. Cada primado é como se fosse uma “sede” da religião em cada comunidade, mas com as mesmas crenças e atividades religiosas? O primado da Umbanda é uma “sede oficial” da religião, uma ala dentro da Umbanda, uma associação ou um dos tipos de Umbanda. Existem outros?

Resposta: O Primado de Umbanda é uma organização federativa nacional de Umbanda, fundada em 05/10/1952 por diversas Tendas de Umbanda, tendo como seu idealizador a Entidade Espiritual denominada Caboclo Mirim, que atuava através do saudoso médium Benjamim Figueiredo, fundador da Tenda Espírita Mirim, com a finalidade de estimular o estudo da religião de Umbanda e a difusão e defesa dos seus reais ensinamentos, bem como, dar formação sacerdotal e iniciática aos dirigentes das Tendas de Umbanda Federadas.
 O Primado de Umbanda é um órgão de cúpula de Umbanda, não existem vários Primados de Umbanda, só um, com sua sede na Rua Espírito Santo 215, Praça Seca – RJ. O que existe, são várias Tendas de Umbanda federadas no RJ e outros Estados da Federação, como também fora do Brasi,l em Portugal, que seguem uma uniformidade em seus trabalhos e práticas do ritual, pautados na Escola Iniciática do Primado de Umbanda.

Não existem vários tipos de Umbanda, a Umbanda é a mesma em qualquer parte do Brasil ou do Mund onde venha a existir, pois ela sempre se apresenta através da tríade da manifestação de Tupã, representada na prática da vida pelas formas de irradiação espiritual denominadas Caboclos, Pretos Velhos e Crianças. Essas formas de manifestações Espirituais ocorrem em qualquer parte do mundo, nas Tendas ou Templos de Umbanda.

Para maior compreensão sobre a unidade da Umbanda damos o seguinte exemplo abaixo:

Se um grupo de umbandista do RJ fizer uma visita a uma Tenda de Umbanda no Sul do Brasil, por exemplo, mesmo sem se conhecerem, não haverá qualquer embaraço, pois os trabalhos serão os mesmo praticados aqui, “gira de caridade ou de confraternização”, com a manifestação de Caboclo, Preto Velho e Criança.

2) Como funciona o trabalho do presidente-primaz e do Tupixaba?

Resposta: O Primado de Umbanda é a única organização federativa de Umbanda que possui uma Escola de Comando, com uma liturgia própria, pautada na teogonia e hierarquia da tradição Tupy, origem brasileira da Umbanda, apresentando a seguinte organização espiritual e material:

QUADRO DAS ORDENAÇÕES NO PRIMADO DE UMBANDA

PRIMAZ – PRIMEIRO – Líder Religioso Comandante do Primado de Umbanda, que quando incorporado de sua Entidade Espiritual recebe a denominação de TUPIXABA, estando sob sua responsabilidade a orientação doutrinária, filosófica e moral da Instituição, bem como, as ordenações sacerdotais dos Comandantes Chefes de Terreiro e o comando das giras coletivas do Primado de Umbanda.

7º Grau - Nomenclatura – CCT – (Comandante Chefe de Terreiro)
6º Grau - Nomenclatura – SCCT – (Sub Comandante Chefe de Terreiro)
5º Grau - Nomenclatura – CT – (Chefe de Terreiro)
4º Grau - Nomenclatura – SCT – (Sub Chefe de Terreiro)
3º Grau - Nomenclatura – T – (Terreiro)
2º Grau - Nomenclatura – B – (Banco)
1º Grau - Nomenclatura – I – (Iniciando)

Significado em Tupy dos Termos Utilizados para Designar as Entidades Espirituais que em Ordem Decrescente estão Colocadas num Terreiro de Umbanda:

7º Grau - Morubixaba - palavra de origem Tupy que corresponde à "Chefe das Tribos Indígenas Brasileiras".

6º Grau - Abaréguassú – palavra de origem Tupy que significa "Homem mais elevado – Bispo".

5º Grau – Abaré - palavra de origem Tupy que significa "Missionário - Homem de Cristo - Homem Diferente - Um Padre".

4º Grau - Abarémirim – palavra de origem Tupy que significa "Sacerdote Menor".

3º Grau – Bojáguassú – palavra de origem Tupy que significa "discípulo, súdito de nível considerável, nível maior".

2º Grau – Bojá – palavra de origem Tupy que significa "discípulo, súdito, servo de nível médio".

1º Grau - Bojámirim – palavra de origem Tupy que significa "discípulo, súdito, neófito, iniciante, discípulo novo – pequeno, novo".

Com base no acima exposto, observa-se que existe uma terminologia para identificar a graduação do médium e outra terminologia para identificar a graduação da Entidade atuante no médium. Assim, quando um Comandante Chefe de Terreiro estiver incorporado de sua Entidade Espiritual, deverá ser tratado como Morubixaba, e quando não estiver incorporado deverá ser tratado como Comandante Chefe de Terreiro. Tal forma de tratamento é igual para todas as demais graduações dentro da Hierarquia da Escola do Primado, por exemplo, quando um Sub Comandante Chefe de Terreiro (6º Grau) estiver mediunizado pela sua Entidade Espiritual, será tratado como Abaréguassú.

3) Qual a sua definição de ecumenismo? É a visão da Umbanda como um todo?

Resposta: A definição de ecumenismo para o Primado de Umbanda é a convivência pacífica e de tolerância ideológica e religiosa entre os homens.

4) Qual a sua definição de sincretismo?

Resposta: Sincretismo é o fenômeno místico-religioso que ocorre quando uma determinada religião, absorve valores e doutrinas de outras religiões para formar a sua base doutrinária e ritualística.

5) A umbanda é apontada como uma religião sincrética por reunir elementos do candomblé, do kardecismo e do catolicismo. Você concorda? Na sua opinião a umbanda é uma religião sincrética? Caso não seja, aponte uma religião que você considere sincrética.

Resposta: Não concordamos com essa afirmativa de que a Umbanda é sincrética, porque a Umbanda possui sua própria Teogonia, Liturgia, Ritualística e Doutrina, que diferem completamente do Candomblé, Kardecismo e Catolicismo, pois a Umbanda está fundamentada na manifestação de Entidades Espirituais evoluídas denominadas de Caboclos, Pretos Velhos e Crianças, que mediunizam seus aparelhos ou médiuns, que através das Giras de Umbanda, vem prestar auxílios vários aos indivíduos independentemente da sua posição social, cor, raça ou credo, que venham a procurar a Umbanda.

Pelo que já vimos e sabemos, não existe em nenhuma outra religião no Planeta Terra essas três formas de manifestação espiritual (CABOCLO, PRETO-VELHO E CRIANÇA), isso só se deu na Umbanda desde seu surgimento com o Caboclo das 7 Encruzilhadas manifestado em seu médium Zélio Fernandino de Moraes, em 1908. As orações na Umbanda são próprias e diferentes das demais religiões.Eestas orações são reveladas pelas próprias Entidades Espirituais e denominam-se curimbas ou pontos cantados (cânticos), cuja melodia e letra são de rara beleza e descrição e que não existe em nenhuma outra religião, bem como, os pontos riscados pelas Entidades Espirituais em seus trabalhos de magia, chamados Lei de Pemba, que são códigos esotéricos de entendimento exclusivo de seus adeptos com alto grau de iniciação, e que tais manifestações, como as curimbas e os códigos de pemba nas práticas do ritual, são originárias da própria Umbanda, não sendo copiados e nem imitados de nenhuma outra religião.

O aparente sincretismo que as pessoas identificam na Umbanda, sem o necessário conhecimento de causa, é devido as vivências e experiências individuais de muito dos seus adeptos em suas passagens por outras religiões, antes de se tornarem Umbandistas, o que não ocorre com adeptos que iniciaram-se unicamente na Umbanda.

Não citaremos nenhuma religião específica como sincrética, pois a Umbanda nos ensina a não criticar e não julgar, pois ninguém é dono da verdade, e cabe a cada Religião falar de per si, embora temos perfeito entendimento e conhecimento das várias formas de sincretismos praticados no passado distante e no momento atual por várias religiões da raiz do cristianismo judaico-católico.

6) As religiões consideradas sincréticas são criticadas com o argumento de que, ao unirem elementos e características de diversas religiões, distanciar-se-iam das bases filosóficas de cada uma e da verdadeira fé. Você concorda? Qual a sua opinião?

Resposta: Não concordamos com esse pensamento com referência ao sincretismo, pois o mesmo pode atuar de maneira benéfica em qualquer religião, quando produz a evolução espiritual da mesma, anulando as intolerâncias religiosas entre os diferentes.

Como seria bom para as religiões intolerantes, que vêem os diferentes como inimigos, se absorvessem os ensinamentos universalista e pacífico da Umbanda.

7) A umbanda é a favor do diálogo inter-religioso? Existem iniciativas nesse sentido? Quais? O primado de Jacarepaguá tem algum exemplo?

Resposta: Somos inteiramente a favor do diálogo inter-religioso, mas existe ainda muito preconceito contra a Umbanda, embora seja a Umbanda a única religião genuinamente brasileira, quase sempre a Umbanda não é lembrada para participar de tais eventos. A Umbanda está sempre aberta a qualquer iniciativa inter-religiosa que possa contribuir para a paz e o progresso da humanidade.

8) Como a umbanda vê iniciativas ecumênicas, como cerimônias com líderes religiosos de diferentes confissões, que se unem para celebrar algo ou, por exemplo, protestar contra a violência?

Resposta: O Primado de Umbanda é uma organização atuante no meio umbandista, realizando seminários, cursos de cultura umbandista, curso de formação sacerdotal, giras de confraternização mensal com a presença de todas as Tendas e Templos de Umbanda filiados no RJ e em SP, possui projeto de ensino religioso de Umbanda nas escolas da rede pública elaborado por pedagogos da Instituição, bem como, projeto de ensino à distância de formação de 1º grau para alunos fora da escola.

Todos os movimentos que mobilizam a sociedade em benefício da mesma, são importantes e devem ser incentivados, inclusive pelos órgãos governamentais, pois só com muito amor e fé poderemos vencer o atual estágio de degeneração do comportamento humano.

Rio de Janeiro, 20 de Abril de 2004.

José Ricardo - Primaz de Umbanda
Darlene Gomes - Vice-Primaz

Samir Castro

Continuação:


Umbanda e Suas Variações: Umbanda Esotérica, Umbanda Iniciática, Umbandaime,Umbanda Eclética Maior, Umbanda Guaracyana,Umbanda Branca ou Umbanda de Mesa Branca,Umbanda dos Sete Raios e Umbanda Traçada ou Mista (Umbanda Popular)/Cruzada/Almas (Angola)



Umbanda e Suas Variações: Omolokô e Umbanda Sagrada


Umbanda e Suas Variações: Umbanda Crística e Opinião Geral de Samir Castro sobre o Tema

http://www.esuakesan.blogspot.com.br/2012/10/umbanda-e-suas-variacoes-umbanda_1439.html

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exú Cainana

Curiosidades - Exú Brasinha