Òsúmàrè (Oxumarê)


Se formos analisar as estações do ano, o surgimento do dia e da noite, os movimentos de rotação e translação, o ar, o vento, as estações do ano, a chuva, as colheitas, os rios, os mares, todos esses ciclos e elementos da natureza traduzem bem este Orixá. Toda a movimentação da Terra, todo este equilíbrio do Universo está associado a Oxumarê, ele representa os Ciclos.
Segundo algumas lendas, o elemento representativo de Oxumarê seria o arco-íris; alguns povos acreditam que o arco-íris poderia ser visto como uma “ponte” que liga os dois mundos, ou diversos planos, para outros estaria relacionado a boa noticias, a boas colheitas e o equilíbrio do Planeta.
Oxumare é a cobra, participando ativamente da criação do mundo, formando os vales e os rios. É a grande cobra que morde a cauda, representando a continuidade do movimento e do ciclo vital.
Movimento, fertilidade e continuidade, comunicação entre o céu e a terra, o responsável pela formação das chuvas, o grande assegurador da comunicação entre o mundo espiritual e os homens.
Este Orixá é a dualidade, ou seja, os dois sexos, masculino e feminino, representando o ciclo de reprodução, o que não significa que o mesmo seria 6 meses homem e 6 meses mulher. Oxumarê representa em si: o bem e o mal, o dia e a noite, o masculino e o feminino, a felicidade e a tristeza, tudo que possuir um encaixe, um equilíbrio, este é Oxumarê. Tudo que é misterioso e oculto está associado a este Orixá.

DIA: Terça-feira
CORES: Amarelo e verde (ou preto) e todas as cores do arco-íris
SÍMBOLOS: Ìbìrí – Bastão feito de hastes de palmeira simbolizando a criação e a continuidade.  serpente, círculo, brajá.
ELEMENTOS: Céu e terra
SAUDAÇÃO: Àróbò bo yi – vamos cultuar o intermediário, aquele que se estica! (no sentido que alcança todos os mundos/planos espirituais)

Lenda 

Conta a lenda que, Oxumarê teria vindo para a Terra a mando de Olorum (Deus), para que cuidasse dos assuntos da criação, juntamente com os outros Orixás. A cada um deles foi dada uma função e uma responsabilidade.
A Oxumarê coube a movimentação da Terra em seu próprio eixo. Quando chegou à Terra, Oxumarê transformou-se em um enorme cobra e enrolou-se por toda sua superfície, impedindo assim, que esta se dividisse, espalhando-se pelo Universo.
Quando cai a chuva sobre a Terra e Oxumarê sente sede, transforma-se no Arco-Íris, e então, desce até as lagoas para saciar sua sede. Olorum também o incumbiu de transmitir aos homens, os conhecimentos da medicina e da preparação dos medicamentos para utilização nos enfermos. Para isso, foi-lhe permitido que viesse ao convívio dos Homens a cada três anos, podendo então ensinar-lhes seus conhecimentos.

Samir Castro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exú Cainana

Curiosidades - Exú Brasinha